Por meio da escolha de aparelho auditivo, pessoas com perda auditiva podem ouvir melhor e ter mais qualidade de vida. Entretanto, uma pesquisa do Instituto Locomotiva e da Semana da Acessibilidade Surda 2019 mostrou que somente 13% das pessoas com dificuldade de audição utilizam aparelho auditivo. Em alguns casos, a dificuldade de escolha de aparelho auditivo pode ser um impeditivo, uma vez que existem muitos modelos no mercado e alguns até com qualidade duvidosa. Para que isso não seja um problema para quem busca viver com mais saúde e aproveitar melhor a vida, preparamos este conteúdo com dicas práticas para saber como escolher aparelho auditivo.

Faça um diagnóstico preciso

Tudo começa com o diagnóstico de perda auditiva, feito por meio do exame de audiometria, que mede a capacidade de audição de um indivíduo. Com os resultados dessa avaliação, o profissional identificará, entre outras coisas, o nível de perda auditiva, que varia entre:

  • Perda auditiva leve;
  • Perda auditiva moderada;
  • Perda auditiva severa;
  • Perda auditiva profunda.

Entender exatamente qual é o grau de perda auditiva é fundamental para escolher o aparelho auditivo adequado.

Entenda as diferenças de aparelho auditivo

Todos os aparelhos auditivos funcionam com o mesmo princípio: aumentar o som para facilitar a vida de quem o usa. Todavia, o que muda é a tecnologia empregada e o método de confecção do mecanismo. Os principais são:

Micro canal (CIC)

Esse aparelho auditivo é extremamente pequeno, quase invisível. Indicado para quem sofre com perda auditiva leve ou moderada, o micro canal é confeccionado com base no molde da orelha do usuário, facilitando a adaptação.

Receptor no Canal (RIC)

Os aparelhos do tipo RIC possuem receptores no canal auditivo e tecnologias que potencializam maior potência, o que facilita a adaptação de pessoas com níveis mais severos de perda auditiva

Aparelho invisível ou adaptação imediata

Versão mais customizada do CIC, esse modelo recebe o nome de aparelho auditivo invisível por ser ainda menor e mais discreto. Não necessita de molde da orelha do usuário, pois conta com tecnologia de adaptação imediata.

Considere o estilo de vida

Fatores como as tarefas exercidas diariamente, hábitos de vida, local de trabalho, entre outros, precisam ser considerados na hora de optar por um determinado modelo. Portanto, deve-se levantar esses pontos com o consultor na hora de comprar aparelho auditivo, para que ele direcione o tipo mais adequado para o estilo de vida.

Pesquise a reputação da empresa onde comprar aparelho auditivo

Infelizmente, por conta de empresas que comercializam produtos de baixa qualidade, ou que não prestam um atendimento humanizado, muitas pessoas que necessitam de aparelhos auditivos para viver melhor acabam tendo uma imagem ruim do mercado. O que é falso.

Para que isso não aconteça, pesquise sobre o histórico da empresa, qualidade dos produtos vendidos, avaliações de outros clientes, etc. Tudo isso servirá de filtro para escolher um local ético e responsável.

Acerte na escolha de aparelho auditivo

Entendendo que existem diferentes níveis de perda auditiva, assim como aparelhos com tecnologias e diferenciais mais adequados para cada necessidade, inclusive com design estético quase imperceptível, o processo de escolha de aparelho auditivo se torna mais simplificado e tranquilo. Dessa forma, não sobra desculpa para não aproveitar o melhor da vida!

WhatsApp chat